terça-feira, 17 de maio de 2011

O cardeal Bergoglio e os trinta anos do golpe na Argentina

12/5/2006

http://www.ihu.unisinos.br/index.php?option=com_noticias&Itemid=18&task=detalhe&id=3649 

 (infelizmente o site unisinos passou por reformulações e certos arquivos não mais são encontrados e esse é um deles - o link portanto não mais funciona)

 Eis de novo em evidência a Igreja católica da Argentina, uma das mais conservadoras, senão reacionária da América Latina e cuja cumplicidade durante os atrozes anos da ditadura militar, entre 1976 e 1983, escandalizaram o mundo.

Quem traz para a superfície a memória daquele período nefasto, cravejado de 30 mil desaparecidos, é Horácio Verbitski, jornalista e escritor argentino que foi nestes 22 anos de democracia um dos mais próximos companheiros das Mães da Praça de Maio.

Agora, com Kirchner, o vento mudou e são disse Verbitski "ao menos 200 os militares na prisão" e 1.400 as causas judiciárias pela violação dos direitos humanos. A notícia é do Il Manifesto, 10-5-06.

Segundo o Il Manifesto, Verbitski é autor de quinze livros, entre eles O Vôo que relata o testemunho do capitão da marinha Adolfo Scilingo sobre os vôos da morte, nos quais detentos vivos eram jogados dos aviões no Rio da Prata.

Agora, Verbitski - afirma o jornal italiano - lança na Itália o seu livro A Ilha do Silêncio no qual desenvolve uma implacável acusação contra o papel da Igreja na ditadura argentina.

Em A Ilha do Silêncio, que se lê como um romance de fato e atroz, diz o Il Manifesto, comparecem todos os nomes notáveis da Igreja na Argentina, os cardeais Caggiano, Aramburo e Pimatesta, os bispos e vigários castrenses Tortolo, Bonamin e Grasseli, e o habitual núncio Pio Laghi. Mas também o nome do atual cardeal Jorge Mario Bergoglio, arcebispo de Buenos Aires, que poderia ter se tornado o primeiro papa latino-americano no conclave após a morte de Wojtyla, vencido por Ratzinger.

De acordo com Il Manifesto, "uma vitória do jesuíta Bergoglio teria sido uma desgraça não menor daquela do pastor alemão". E Verbitski, segundo o jornal, explica e documenta o porque.

Esclarecedor e demolidor, em particular, é o acontecimento dos dois padres jesuítas, Orlando Yorio e Francisco Jalics, que fizeram o erro de trabalhar nas favelas de Buenos Aires e por isto foram traídos e entregues aos militares por Bergoglio (que obviamente nega), diz o jornal a partir de relatos do jornalista.

Verbitski contou estes fatos na Universidade de Roma, apresentando o livro, acompanhado pelo vice-reitor Maria Rosalba Stabili e pelo professor Cláudio Tognonato. Eles três e outros inumeráveis participantes falarão hoje e amanhã da "Argentina; trinta anos do golpe. O Exílio na Itália" destaca o Il Manifesto.

23 comentários:

  1. Agora ele como papa, essa página será muito acessada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, só acessei depois que ele virou Papa.

      Excluir
  2. Eu tbém só acessei depois e vou voltar para outras leituras...

    ResponderExcluir
  3. "Tudo é por acaso", e ainda há os que pensam que o espírito santo iluminou a consciência dos participantes do conclave.Leiam povo! Ler faz bem e abre os horizontes

    ResponderExcluir
  4. Ler = Conhecer, Saber...
    aff

    ResponderExcluir
  5. Deus abençoe o papa

    ResponderExcluir
  6. Eu creio que os que se dedicam a essa caça as bruxas em 2013 perdem a noção de tempo da Historia. Não se pode analiasar 63 e 64, a luz do que ocorre hoje, padrões atuais e cenário mundial. Massacres ocorreram na segunda guerra, perpetrado por americanos, e não se publica uma unica linha. Idem sobre os estupros em massa na Italia, perpetrados pelas tropas africanas do exercito colonial Frances. Dois pracinhas brasileiros estupraram e mataram e...o assunto foi engavetado. Por que escrevi isso? Para mostrar que a historia que vinga é a escrita pelos que estao no poder ( ou venceram). Muitos ( ou totalidade) dos que hoje escrevem sobre o periodo das ditaduras não eram nascidos. Não viveram a epoca. Selecionam temas bombasticos mas escondem o que ocorreu, por exemplo, na Cortina de Ferro. Condenam a carga de cavalaria do Rio e omitem a carga de tanques em Praga, em 68, por tropas sovieticas. Todo esse assunto é historia, e passado e não interfere em nossas vidas. O que ocorreu na Argentina não guarda nenhuma semelhança com o que ocorreu no Brasil. La, ate tanques foram utilizados pelos revoltosos, para cercar cidades do interior! Foi guerra e, desde que o mundo é mundo, guerra é guerra! Pessoas morrem e barbaridas ocorrem! Deixa o Papa em paz! Se se aceita uma Christna Kirshner, estão reclamendo do que?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Passado não interfere em nossas vidas? Tem certeza?

      Excluir
    2. Argentina e Brasil agiram juntos durante a ditadura

      e não está se falando de pessoas que morreram em uma guerra
      mas torturadas

      leia sobre os voos da morte criatura e não me venha com esse papo de defensor de ditador e torturador

      Excluir
    3. sobre os voos da morte - guerra é guerra?

      http://histriabemcontada.blogspot.com.br/search/label/v%C3%B4os%20da%20morte

      Excluir
    4. O Millor Fernandes dizia que quando um pergunta o que o outro quis dizer é porque um dos dois é burro.

      Excluir
    5. Gado é sempre gado. Achar que o passado pode ser varrido para debaixo do tapete da História é a maior prova de alienação e ignorância.

      Excluir
  7. Concordo em gênero e grau. Mania que esse pessoal de certa inclinação política tem de denegrir a imagem de todos aqueles que não gostam.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Denegrir?

      agora publicar FATOS é denegrir

      além do que essas postagens são antigas - é só olhar as datas

      Excluir
  8. Depoimentos para que todo mundo conheça e analise, pois assim podemos conhecer mais sobre o mundo em que vivemos, atualmente, ao contrário do que acontecia em períodos anteriores com as questões relacionadas com Direitos Humanos e Liberdade, Justiça e Paz indispenáveis a Vida.




    ResponderExcluir
  9. É sempre assim desde que o mundo e mundo alguém sobressai em relação a outros sempre vão estar catando coisas pra denegrir imagens e feitos de qualquer ser humano que viveu na terra, antes pq o papa era alemão então automaticamente era nazista. agora pq é argentino e ditador e se fosse então o brasileiro seria o que corrupto? Pq cada um naum se preocupa em cuidar do próprio rabo....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. o mocinho....

      antes de mais nada essa postagem foi feita em 17 de maio de 2011
      portanto ele nem era candidato a Papa

      em 2° - se ele se sobressaiu foi por conta da atuação dele apoiando ditaduras, sequestrando bebes e respopndendo a processos

      em 3° lugar esse blog é sobre Ditadura - nada mais natural que tenha postagens sobre noticias de casos da época da ditadura

      em 4° - como se cuida do próprio rabo? assim como vc,que veio até aqui xeretar o que mesmo?

      5° - aprende a escrever como pessoa civilizada - "naum" é coisa de analfabeto ou algo pior

      Excluir
  10. Excelente postagem. Claro que a Igreja Católica não ia escolher um papa que não fosse reacionário. É condição pra ser papa, ser de direita e conservador.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. a Igreja esconde e protege pedófilo
      mas gostou sempre de matar hereges e comunistas

      Excluir
  11. Bravo, não devemos aceitar tudo calado. se não resolve, mas fazemos barulho e o mais importante é unir forças nessa batalha. As formigas são pequenas, mas juntas são fortes!

    ResponderExcluir
  12. Parabenizo. Rita Candeu, suas postagens são as mais coerentes! e ainda teve a coragem de mostrar quem é...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigada

      eu não tenho motivos para me esconder
      faço esse trabalho nesse e em outros blogs com o intuito de informar

      e busco ser sempre coerente e atenta a fontes dignas de confiança e sempre aberta e disposta a corrigir qualquer equivoco ou erro.

      seja bem vindo

      Excluir
  13. Antes de acreditar num jornalista, prefiro acreditar num verdadeiro envolvido, que inclusive foi citado por este senhor supracitado, Francisco Jalics, que afirmou em seu próprio site (trecho traduzido para o espanhol) :"Es un error afirmar que nuestra captura ocurrió por iniciativa del padre Bergoglio", em outro trecho ele continua,"Estos son los hechos: el padre Bergoglio no denunció a Orlando Yorio ni a mí'.

    Estas são as citações de uma pessoa diretamente envolvida no caso que, na minha concepção, desmascarando o jornalista publicou esta nota. Agora, todos tem o direito de acreditar no que quiser, mas para que a história seja bem contada é mister contar os dois lados.

    http://www.jesuiten.org/aktuelles/details/article/erganzende-erklarung-von-pater-franz-jalics-sj.html

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...